segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Treinar com comida, estimulação mental e alimentação alternativa


Cada vez mais a alimentação dos nossos cães sofre alterações e há a preocupação em ter o melhor para cada cão e adequado à família. Se antes a única preocupação era qual das rações escolher agora ouvimos falar de alimentação natural, alimentação crua, alimentação vegetariana ou mesmo dietas especificas para cães que têm complicações de saúde diversas. Não vamos falar aqui do que escolher, a melhor opção ou como devem alimentar os vossos cães – aconselhamos que falem com veterinários e profissionais dedicados à nutrição que vos possam dar um apoio mais especializado e adequado à saúde de cada cão. Vamos no entanto falar um pouco de opções quanto ao treino com comida e a estimulação mental, ambas questões que são tomadas quase como impossíveis ou muito difíceis nestas situações.
Treinar com comida
Treinar com base no reforço positivo não significa utilizar exclusivamente comida no nosso treino, sendo que podemos utilizar qualquer coisa que o cão deseje seja um brinquedo ou mesmo abrir uma porta, cheirar, ir conhecer um cão, etc. Contudo, o que a comida nos permite é que exista uma maior facilidade e elasticidade no nosso treino e ainda fazer diversas repetições sem esforço.
Qualquer que seja a base da alimentação do vosso cão é possível utilizar as refeições para reforçar comportamentos diversos dentro de casa – seja com ração ou pedacinhos da comida. Reforce o que desejar que seja repetido mais vezes seja simples comportamentos como o senta ou mesmo condutas que devem ter como “automáticas” dentro de casa como comportamentos calmos, ir para a cama dele, fazer as necessidades no local correcto, etc. O desafio surge quando tentamos levar o treino para o exterior e temos necessidade de utilizar outro tipo de recompensas com maior valor.
Deixamos então várias sugestões
· Alimentação natural crua/cozida – guardar os pedaços de comida com maior sabor/cheiro e que os cães prefiram exclusivamente para treinos no exterior (por exemplo as visceras) ou guardar alimentos que não comam habitualmente e a que dêem muito valor ( por exemplo peixe)
· Alimentação vegetariana ou dietas veterinárias – alimentos preferidos dos cães habitualmente cozidos (têm maior sabor) ou frutas (mais doces). Já utilizámos, com sucesso e por diversas rações, cenouras cozidas, batata doce, maçã, banana, entre outros. Uma outra opção, se a dieta for com base em ração é misturar a mesma com um pouco do molho de cozedura dos vegetais, deixar a repousar no frigorifico durante a noite e depois misturar com um pouco de comida húmida apropriada à dieta escolhida. A imaginação é o limite.
Em suma: · Utilizar a ração para treinar em casa · Na rua utilizar os alimentos preferidos do cão ou misturá-los com alguma criatividade. Dar primazia a alimentos com cheiro intenso e húmidos/semi-húmidos
Estimulação mental
A estimulação mental é uma das necessidades básicas de qualquer cão e se, em algumas dietas como a natural crua com ossos existe já um cuidado neste aspecto noutras esta necessidade é passada para segundo plano e desprezada. Podemos oferecer aos nossos cães diversas oportunidades de se estimularem mentalmente ao longo do dia seja em passeios, com enriquecimento ambiental ou mesmo jogos com a família mas uma das formas mais simples de o fazermos é aliarmos as alturas de refeições a esta necessidade.
Se pensarmos na origem dos cães ou mesmo olharmos com atenção para o comportamento dos que vivem connosco conseguimos identificar um comportamento comum de procura de comida – esteja ela no caixote do lixo que nos esquecemos de fechar ou encontrada num dos passeios. Ao longo do tempo fomos alterando de tal maneira os hábitos de alimentação dos nossos cães que neste momento e na maior parte das casas a refeição é servida numa taça que é colocada no chão e pronto. Não há procura, não há jogo e acabamos por deixar para trás uma das melhores formas de estimulação que podíamos ter.
Como mudar isto? Introduzir jogos de procura ou puzzles que tenham de desvendar para ter acesso à refeição é uma das formas mais simples de começarmos a mudar o dia-a-dia dos nossos cães. Seguem algumas ideias: · Espalhar a comida pelo jardim (na relva) e esperar que a encontre · Esconder em vários locais da casa · Utilizar brinquedos dispensadores de comida (bolas dispensadoras, kongs, etc) · Colocar os brinquedos dispensadores de forma a que sejam mais dificeis – escondê-los, pendurá-los, etc
Uma das coisas mais comuns que vejo depois de se mudar a forma de alimentação é cães a recusar-se comer da taça quando podem estar a divertir-se. Uma forma de preparar as refeições com antecedência (e minimizar o tempo) é ter vários brinquedos preparados com antecedência (p.ex. ao fim de semana) e depois ir oferecendo durante a semana. Quanto mais variar melhor para o seu cão melhor :)
· Congelar numa caixa a refeição do cão juntamente com água (pode ser água de cozedura – sem temperos) e fazer um mega gelado · Ossos recreativos, ossos prensados e outros brinquedos de roer que o cão goste · Oferecer maçãs ou outros vegetais com recheio ou simples (p.ex. manteiga de amendoim), podem também ser congelados · Pedir comportamentos em troca de comida

Sem comentários:

Publicar um comentário